top of page

A energia sagrada da estrela de primeira grandeza



Em todo o Universo, espalhados por todas as dimensões, Sóis incríveis mantem a vida de todos os irmãos, sustentando-os nas dimensões que se encontram, espalhando a sua energia sustentável, para que o equilíbrio permaneça regendo a ordem do Universo.


A força de cada sol é incalculável aos olhos, cujo véu ainda permanece obstruindo a passagem da intensa luz que dilata a percepção do todo.


Em todos os espaços a luz enriquece com seus raios luminosos, pois o Criador é a própria luz que sustenta a tudo. Não seria prudente que existisse obscuridade dentro da criação, uma vez que o Criador é Luz. Os pontos que os olhos humanos retratam como sendo escuros ou matéria escura, se apresenta dessa forma devido à falta de percepção, pois a sua visão é restrita, devido à sua falta de maturidade.

Não há meios cabíveis de simples olhos mortais, travados em matéria densa, conseguir captar os raios luminosos que se encontram por todo o Universo.


Não podemos esquecer que todo o Universo é desenhando a partir de uma linha que se abre e o desenho geométrico se amplia, como se o próprio Criador estivesse projetando as formas geométricas para sustentar a energia da vida que irá nascer.

Se tudo é energia, ela está apta para cada ser, mas de acordo com as capacidades sensoriais que conseguem obter.


Assim sendo, o sol transmite a Terra a dose necessária da energia que ela e os seus habitantes conseguem reter e perceber.


Dessa forma, o que é luz luminosa para alguns é energia escura para outros, pois lhes faltam um ângulo ocular mais detalhado para tal. Os pontos de luminosidades que cada globo ocular inferior consegue reter é demasiadamente fraco em relação aos seres mais elevados. Aqui, no planeta Terra, a luz chega branca e se decompõem dentro de cada globo ocular, manifestando as cores que ele consegue captar. Já em orbes mais elevados, existe uma mistura de cores fora do globo ocular, que são captados e transformados em cores sutis, demostrando o grau de amor que se encontram.

Fazendo essa comparação, chegamos à conclusão que não existe nada no Universo que não seja habitável e que permanece escuro.


Ledo engano de mentes conclusivas, faltando captarem a frequência exata do Criador, para então perceberem que a própria existência do sol é morada de seres luminosos que se propagam por todo o Universo, mantendo cada sistema na mais perfeita ordem.

Deles partem o amor em doses exatas, para fecundar cada atmosfera dos planetas que estão sob sua regência, cumprindo sempre as ordens do Criador.

8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

ALQUIMISTA

Comments


bottom of page